Início » Minha história no Canadá

Minha história no Canadá

Photo ©Alan Albert

Você parece famil-iar, mas de alguma forma estranha - você por acaso Canadense?

Este New Yorker carro-toon legenda resume a relação que muitos americanos têm com o Canadá. Sabemos Canadá como podemos casualmente conhece algum vizinho. Estamos cor dial-, dizer "Olá,"E vamos sobre nosso próprio negócio.

Se, a maioria dos americanos sabe alguma coisa sobre o nosso vizinho do norte. Temos verificado cabeça-linhas sobre uni-ver-sal cuidados de saúde, same-​​sex mar­riage, e mania de hóquei. Vimos pho-tos de Majes-tic monta-tém, enseadas tranquilas, tow-er-ing sempre-verdes, e vastas extensões de arco-tic wilder-ness. Podemos ter lido sur-quisas call-ing Vancouver a melhor cidade do mundo para se viver, com-par-ing chique Montreal to Paris, e Ranking-ing Toronto entre metrópoles mais multiculturais do planeta. Estamos família e com o Canadá, mas nós não podemos realmente conhecer os nossos vizinhos canadenses - até que algo acontece que nos faz tomar conhecimento.

Para a minha fam-ily, era um oferta de trabalho.

E depois de nossa mudança inesperada ao longo da fronteira, as my fam­ily and I began fig­ur­ing out how to man­age the tran­si­tion to our new Canadian home, nós rapidamente dis-ABRANGIDOS que cross-ing a bor-der em vaca-ção-Alguma-coisa que tinha feito muitas vezes,wasn’t the same as liv­ing and work­ing in a dif­fer­ent coun­try.

Porque Canada is a dif­fer­ent coun­try. Claro, que parece bobagem; we knew we were mov­ing to a new nation with its own gov­ern­ment, dinheiro, e as leis. Yet because Canada felt so com­fort­able – so sim­i­lar to the United States – we were sur­prised at how many things we needed to sort out.

A Dos limites para precisávamos para começar a trabalhar-ing. A doc-u-mentos precisamos mover nosso carro. Como providenciar seguro saúde-dade e apresentar declarações de nossos impostos. Ao contrário de muitos os imigrantes cabeça-ing no exterior, we didn’t need to learn a new lan­guage or adapt to exotic cus­toms. Nós estávamos indo para o país-tente ao lado direito. No entanto, havia ainda muitos desafios.

Depois de resolvido o papel trabalho, embora, começamos a ajustar o nosso país adoptou-tente. Logo aprendeu a abraçar Canada 's Multiculturais Expo-você-com o-tural esthetico, sam-Pling novos alimentos, juntar-se-ing em locais fes-ti-vals, e familiarizar-se com expatriados de todo o mundo. Viemos para valori-ci-comeu o ativo, exterior orientada cul-tura, onde pes-soas fazer tempo para ir esquiar, andam de bicicleta, ou caminhar pela água front-. And we began to slow our hurry-​​up atti­tudes to a more descontraído velocidade canadense.

Durante horas, nós também descobriu muitas outras diferenças entre a cultura canadense e norte-americanos. Tornamo-nos familiarizados com Timbits. Aprendi o que toques são e por que as crianças precisavam deles para soc cer-. Descobri porque há um hol-i-dia no Queen of Inglaterra nascimento dia-.

Se você é explor-ing este web-site, você pode estar pensando em mudar para o Canadá ou você já pode estar aqui. Whatever your rea­son for con­sid­er­ing Canada – that neigh­bor who’s famil­iar yet just a bit dif­fer­ent – wel­come. Eu gostaria de lhe apresentar a minha nova casa canadense.

- Extraído do livro, Viver no Exterior em Portugal. Para ler mais, comprar o livro.

Photo Albert Alan ©